Follow by Email

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

O regressar do café com bolo!

Histórias de vida são sempre repletas de relatos surpreendentes. 
Felicidades, tristezas, angústias,  conquistas... 
Aos três meses, uma fatalidade culminou na subtração da oportunidade de convívio paterno. 
Vínculos familiares foram mantidos e estimulados mas, fato é, 
que as relações maternais sempre foram mais presentes. 
Constantes sim, não mais intensas.  
Migrei, por escolha e decisão alheias. Desamei. 
Assentei-me. 
Mas, por mais que tempo escoe pela ampulheta, 
o dissabor volátil ainda reflui e exibe seu fel. 
E, em meio a sentimentos ambíguos, compus. 
Factualmente, o rio segue seu curso e, intempestivamente, a correnteza me leva ao prelúdio. 
Por anos estive distante mas o destino me leva de volta. 
No horizonte vislumbro a esperança  de zarpar mais uma vez. 
E, quem sabe, em breve, estejamos reunidos. 
E, se assim for, que seja sempre acompanhado de café, bolo e amor...


Priscilla Sarah - aprendiz de cozinheira!

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Para se estar junto, não é preciso estar perto….

É com essa frase meio clichê que retomo meus devaneios e divagações. 

Na oportunidade de estar distante - sem estar só - descobri, no inesperado contato diário e na vigília insistente, amizades sinceras. 
Através de uma pequenina fresta, vislumbrei novos mundos. 
Estive nos mesmos lugares, mas com pessoas distintas. E os sabores tornaram-se desiguais. Não melhores nem piores, apenas diferentes. Visitei novas casas, vivenciei novas experiências, apresentei-me a novas pessoas, percorri novas crenças. 
Durante esses dias mantive-me, involuntariamente, em busca de aromas, texturas e sabores que me levassem a você. E, lhe procurando, me encontrei. Me descobri repleta de afeto e de uma saudade enorme de algo que não havia perdido.  
Deparei-me, a cada amanhecer, com inúmeros bons dias. A cada instante, vínculos despretensiosos enlaçavam-se de forma relevante. Afagos na alma, alento ao coração. 
E, em meio a isso tudo, o que era pra ser ausência, tornou-se presença... 
Sigo proferindo minha gratidão ao Sanatorinho por seus cajuzinhos, cordeiros, churrascos, doritos, bolos, risotos, ceviches, paçocas, saladas, cafés, pizzas, cervejas, pavês, vinhos, caranguejos, bolinhos de carne acompanhados de macarrão com brócolis e muito amor. 
Obrigada por fazerem parte de minha vida e tonarem a jornada mais branda. 

Priscilla Sarah - aprendiz de cozinheira.